Girls – S01E03 “All Adventurous Women Do”

 

Girls é fundamentalmente uns vinte minutos bem passados. A qualidade não é por aí além e às vezes o protagonismo da Hannah (Lena Dunham) é um pouco irritante… mas as histórias que nos apresentam traduzem o objectivo proposto… dá voz a uma geração (com 26 anos incluo-me nela) de pessoas completamente desorientadas. Nasceram e cresceram nos anos de todos os excessos e crescimento de um sistema social e económico pujante. Contudo, chegados à idade adulta, esse sistema está em ruínas e nada mais resta que a incerteza e o ir reinventando-se na base do dia-a-dia.

Como socióloga é isso que mais me atrai em Girls… este tipo de leituras que a sua congénere Sex and the City também era bastante profícua. Por isso, esta era a minha tentativa de elogiar a série!😀

Este foi um episódio menos estruturado em torno de um tema, que os anteriores. Hannah embarca em mais uma fantasia sexual com o seu amante carpinteiro. No primeiro episódio, ele foi-nos apresentado como alguém que desaparecia constantemente da vida de Hannah… contudo, estes três episódios foram profícuos em encontros entre ambos. Ele é, sim, desapegado emocionalmente de Hannah. E, é-lo, ao ponto de mentir para ela sobre o teste acerca de uma doença sexualmente transmissível. Hannah tem PVH (vírus do papiloma humano) e assume que foi o seu companheiro que lhe transmitiu, contudo este diz-lhe que foi testado recentemente e que não pode ter sido ele. Assim, ela assume que foi o seu ex-namorado dos tempos da faculdade que lhe transmitiu a doença. Marca um encontro com ele e descobre que ele actualmente namora um homem. Porém, descobre igualmente que o seu namorado não pode ter sido testado, porque não existe um teste para homens para essa doença, até porque ela não apresenta sintomas nos homens. Para além do baque de tudo isto, o ex de Hannah ainda começa a enumerar todos os homens na vida de dela que deverão ser gays no armário, incluindo o pai dela. Esta conversa literalmente abala emocionalmente Hannah, que não parece conseguir um emprego.

Paralelamente, Marnie prossegue a sua relação desapaixonada com o seu namorado. É que não há mesmo paciência. A moça já tem um feito dominador e ainda se mete com um tipo submisso… o resultado é que acabam os dois insatisfeitos quer física, quer emocionalmente. Daí que tenhamos acompanhado o flirt dela com um artista numa exibição da galeria onde trabalha com a esperança de que ela fizesse algo que a obrigasse a pôr as cartas na mesa acerca da sua relação.

Apenas resta falar de Jessa, que depois de não ter aparecido ao aborto e de ter ficado a ideia no ar de que a gravidez pode ter sido um falso alarme… este foi um episódio em que ela esteve literalmente apagada. Arranjou o seu primeiro emprego como baby-sitter e quase se envolve com o seu «patrão». Fica, sobretudo, a ideia de que ela tem muito jeito para crianças!

Let’s wait and see!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s