Scandal – S01E04 “Enemy of the State”

Ladies and gentlemen… let the games begin (or continue)!

Ao contrário do que esperava, tenho vindo a gostar mais de Scandal do que o inicialmente previsto. A série extravasa a formula de sucesso de Shonda Rhimes. A intriga é bem construída e apesar do núcleo da Casa Branca ter evidentes falhas, as personagens vão cativando a audiência. Contudo, quando olhamos para o encadeamento dos episódios e construção da intriga principal, temo que aconteça a Scandal o mesmo que acabou por acontecer com The Firm… a ideia original até nem é má, contudo existem séries dúvidas quanto à possibilidade de desenvolvimento de outras temporadas. The Firm acabou sendo cancelada… penso que história de Scandal tem mais pernas para seguir em frente, mas depende da direcção da série nos próximos capítulos.

No que diz respeito ao caso da semana, a equipa de Pope & Associates é chamada a ajudar a encontrar a esposa e filhos de um ditador, que desapareceram misteriosamente de um restaurante. Abby Whelan mostra-se descontente com Olivia pelo facto dela não deixar a equipa votar na decisão de aceitar ou não o caso. Rapidamente a equipa descobre que a história do rapto está mal contada e que provavelmente a esposa fugiu do marido, ainda para mais quando descobrem o seu paradeiro num abrigo para mulheres maltratadas. Abby obriga Stephen a omitir de Olivia o paradeiro da família, uma vez que acha que a esposa tem o direito de decidir se quer ou não ficar com um marido abusador.

Contudo, no dia seguinte quando vai ter com a família ao hotel descobre que eles não estão mais lá… Quando chega ao escritório, estão todos reunidos com o ditador, sendo que da história da esposa do ditador, apenas mantêm a aparência de que aquele foi um rapto mal sucedido. Abby revolta-se novamente contra Olivia por ela ter entregue a família e lembra-a, uma vez mais, que a Olivia Pope que ela admira e segue incondicionalmente não faria tal coisa. Abby já tinha tido o seu momento em episódios anteriores, mas sempre tendo em conta o seu relacionamento mal resolvido com Stephen. Neste capítulo, ficámos a saber que Abby foi vítima de violência doméstica e que foi Olivia que a resgatou e lhe deu uma chance na firma.

Olivia decide assim remediar o seu erro e ajudar a família a escapar. Contudo, são apanhados pelo ditador e o seu staff. Este diz à mulher que se ela quiser pode ficar nos EUA, mas que os filhos irão com ele. Olivia, posteriormente, intervém junto do ditador e lembra-lhe que se ele tirar os filhos à sua esposa… ela pode rapidamente virar uma mulher extremamente motivada, símbolo da oposição, virar herói popular e com isso o rosto mais forte que o pode derrubar! Este foi o ponto, mesmo que momentâneo, em que Olivia voltou a dar as cartas no controle das situações. Olivia sabe e os outros também notam que ela não se encontra no topo da sua forma… muito por culpa do caso Amanda Tanner.

À custa deste caso, ela em Cyrus (o chefe de gabinete da presidência) entram em rota de colisão. Cyrus acredita que Olivia está a fazer jogo duplo e por isso manda investigar todos os membros da equipa de Olivia. Paralelamente, Amanda diz a Olivia que se o presidente não quer estar cinco minutos com ela a sós, então ela quer que todos saibam do que se passa. Olivia informa isso mesmo a Cyrus, intensificando as hostilidades entre ambos, sendo que agora o próprio presidente quer destruir Olivia. E é isto mesmo que Cyrus informa a Olivia na parte final do episódio.

A investigação de Cyrus ainda não nos trouxe grandes novidades sobre o passado de cada um dos elementos da equipa… o que deu para mostrar foi que cada um tem algo a perder nesta guerra. Ainda, assim todos concordam seguir Olivia no caso Tanner. O que estes não sabem é que a própria Amanda faz parte de uma história de maior dimensão e que está a mentir. Contudo, ela telefona ao seu mandante e avisa que vai contar a verdade… isto tudo para que no final quando ela é raptada e possivelmente assassinada possamos ficar na dúvida de quem foi o mandante. Sendo que Olivia e os seus rapidamente irão concluir que foi a Casa Branca que está por detrás.

Intrigas… eu continuo céptica face a Cyrus… mas o papel da Quinn neste enredo todo também deve ser questionado, até porque a sua identidade não existia até há dois anos atrás. Como Olivia antes de a contratar não verificou o seu passado?! Porque é que o caso Tanner coincide com o primeiro dia de Quinn na firma?! Ou se calhar, ela é apenas a estagiária a jogar um jogo de sedução perigoso com o jornalista!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s