Grey’s Anatomy – S08E21 “Moment of Truth”

Este está a ser o momento da verdade para os residentes de Seattle Grace, contudo este foi mais um episódio de transição para o grande final de temporada que se adivinha. Este foi um óptimo episódio a muitos níveis, contudo a pouco tempo do season finalee sabendo nós que algumas personagens poderão não continuar… todos os segundos dos episódios são de expectativa e de tentativa de ler nas entrelinhas o que poderá acontecer. Fora essa expectativa, há todo um conjunto de questões que se estavam abertas, e que continuaram assim…

Este foi um episódio em que desejaram que vivêssemos a expectativa do grande exame e para tal, mesmo quando não havia grande dúvida quanto à proficiência de cada um deles em passar no exame, nada como os meter em alhadas, que os levam a dilemas emocionais, para adensar o momento dramático do exame. Assim, podemos ficar na expectativa dos resultados…

E, assim, um a um todos fora caindo nas malhas da pressão e do medo de falhar. Mesmo a Cristina, apesar de não se questionar sobre as suas capacidades, luta contra a incerteza da sua relação com Owen e com o facto de ter de decidir se deve ou não partir. Já Meredith fica doente com gripe, que apanhou de Zola, e luta contra a doença e face ao medo que tem de seguias pisadas da sua mão… ela não quer ser uma mãe ausente, ainda assim deixou Zola doente ao cuidado de Derek. Ainda assim, apesar da distância/barreira física que Cristina impõe a Meredith para não apanhar a gripe… já há muitos episódios que não assistíamos a uma conversa tão sincera e próxima entre as duas amigas. Esse, para mim, foi o ponto alto do episódio!

Contudo, a viagem a São Francisco fica marcada pela inusitada relação de Kepner e Avery. E aqui assistimos a todos os clichés para justificar o comportamento de ambos… estão ansiosos, bebem, metem-se numa briga no bar do hotel, bebem e Kepner decide abandonar a camisa de forças que são as suas regras e planos de vida e perder a virgindade! Foi estranho ver estes dois a beijarem-se… sinceramente não ligam! Já no dia do exame, Kepner arranja mais um drama e diz a Avery que traiu Jesus! God!

   Kepner não é a personagem preferida de ninguém e o seu ponto alto na série já lá ficou na temporada passada quando esteve quase a envolver-se com o cirurgião pediátrico… eles até tinham uma boa química, apesar da diferença de idades. Agora, neste temporada, ela é um falhanço enquanto líder dos residentes, chatinha e sempre atrás da aprovação do chefe. Não há paciência… mas, o mesmo se passa com Avery, que depois de deixar de namorar a Lexie perdeu um pouco o caminho na série, tendo mesmo momentos de completa insensibilidade (como quando ele e Torres se envolveram naquele caso de má prática). O que salva Avery é mesmo o facto de fazer parceria com Sloan e, esse sim, está a brilhar alto esta temporada!

Outro caso amoroso a que assistimos é o de Richard e Catherine (a mãe de Avery)… insistem que estes dois têm química e continuam a trazer de volta a personagem de Catherine. Pior, até colocaram a Adele a «trair» (ela não trai de facto Richard, porque nem se lembra que ele é seu marido) para justificar esta alfinetada do Chief. Eu também concordo que o casamento de Richard é um disco riscado para dar audiências, mas o carácter que este empresta à personagem, merece mais do que uma noite com uma colega.

Em sentido oposto e mesmo em rota contrária a San Francisco esteve Karev. Esta é outra personagem que cresceu bastante ao longo da série! Ainda assim, seria aquele de quem todos esperássemos que arranjasse alguma desculpa para se isolar do grupo e assim não mostrar quão assustado estava de falhar. Clássica sabotagem a si próprio… Contudo, desta vez fê-lo de uma forma altruísta e apercebendo-se da gravidade do estado do filho de Morgan, volta para Seattle e acompanha-a no difícil momento de desligar as máquinas de Tommy. No final do episódio fica a ideia de que karev não consegue chegar a tempo de realizar o seu exame… porém, todos esperamos que ele chegue bem no final e consiga fazê-lo! Primeira cena do próximo capítulo😀

Ainda por Seattle, acompanhamos a história dos médicos sem os seus residentes, voltando-se todo o caso para a dificuldade de entendimento entre Teddy e Owen, que discordam no protocolo a seguir num paciente vítima de um acidente de viação. A hostilidade é enorme entre ambos no bloco operatório… ao ponto de Owen se retirar. Bailey acaba por dizer a Teddy que a hostilidade que ela vê em Owen o tempo todo é parte da sua cabeça e da culpa que ela lhe atribui pela morte do marido. Isso faz Teddy reflectir e tentar uma primeira e leve aproximação a Hunt. Esta da-lhe notícias de Cristina que está em San Francisco. Por sua vez, uma sempre muito apagada Lexie, confronta-se com o dilema de trabalhar com Sloan, mas ser incapaz de lhe dizer o que sente por ele… apesar de o expressar muito facilmente a Derek. Uma temporada inteira disto, também cansa!

No próximo episódio, desejo (ansiosamente) que o final da temporada se comece a desenhar, que isto do stress também dá cabo do coração de um fã!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s