Grey’s Anatomy – S08E20 “The Girl With No Name”

  Algum dia todos temos de crescer e virar adultos… sendo o ritual de passagem o momento em que aceitamos que cabe a todos tomar decisões difíceis! Este foi o episódio de uma rapariga sem nome… mas muitos nomes foram rolando ao longo do episódio! Houve espacinho para quase todos no elenco brilharem, houve muitos nomes de programas cirúrgicos de renome… muitos planos a fazer a alguns com necessidade de remate. Este é um Grey’s Anatomy mais maduro… mas, à parte do friozinho na barriga dada a incerteza do futuro, este é um Grey’s que só podemos adorar!

Todos os quintoanistas procuram uma posição no quadro de um hospital no país, de preferência no seio de um programa cirúrgico de renome. À excepção de Cristina todos vivem momentos de alguma ansiedade! Mas já lá vamos…

Por enquanto convém falar do caso da semana… uma rapariga sem identidade é encontrada numa trilha. Naquela que parece ser a vítima de uma queda, rapidamente os exames mostram que ela estava sujeita a uma espécie de tortura há já vários anos. Rapidamente, os médicos se apercebem que podem estar perante a vítima de um rapto mediático que aconteceu 12 anos antes. Na altura a menina tinha seis anos, tendo actualmente 18 anos. A primeira pessoa com quem ela estabelece uma relação de confiança é Meredith, que uma vez mais brilha com o seu habitual toque de humanismo! Mas todos no hospital vivem de uma forma particular este caso.

  A Hunt cabe lidar com a pressão de um caso muito mediático junto dos media. É o chefe e a própria Cristina que dão confiança e força para que este aguente a pressão. Já Torres tem que corrigir lesões e fracturas nos ossos que têm bastantes anos e que nunca foram correctamente tratadas. Contudo, é Bailey que fica assombrada pelo maior pesadelo de qualquer pai… a ansiedade e o medo de que o seu filho desapareça. Este pavor é tão profundo em Bailey que esta paralisa. Quando vai buscar Tucker ao infantário e este não está lá, entra imediatamente em pânico! Também os pais da rapariga são postos à prova, porque o trauma apagou nela as recordações do tempo passado junto deles e deixou o rasto de uma certa simpatia com o seu raptor. Ao longo do episódio também descobrimos que algures ao longo do seu cativeiro, a rapariga teve um bébé, que o mais certo é ter falecido.

Um dos pontos altos do episódio, acontece quando toda a equipa de cirurgiões aplaude a actuação de Hunt, aquando da alta desta paciente tão especial. Claro que, no seguimento do drama vivido nos episódios anteriores na relação entre Owen e Cristina, garante que é o facto de a própria Cristina o aplaudir que lhe confere alguma serenidade para aceitar os elogios. Este foi uma espécie de episódio de redenção de Hunt junto dos espectadores e, penso eu, que nos prepara para uma mais que possível reconciliação entre o casal. A ver vamos…

Voltando às entrevistas de trabalho, todos enfrentam um pequeno dilema pessoal…

Karev desespera com a falta de entrevistas e quando estas aparecem são, regra geral, num subúrbio qualquer. Posteriormente, descobre que é a própria Arizona que anda a boicotar as suas possibilidades para forçá-lo a ficar em Seattle. Por sua vez, Kepner enterra-se sozinha nas suas entrevistas sendo demasiadamente solicita econtrol freak. Já Avery desespera com o «prestígio» que o nome do seu avô acarreta… ele sente a pressão que apenas estão interessados no seu trabalho por causa do seu nome, ou pior, para apenas conhecer o seu avô.

Já Cristina aniquila as suas entrevistas, mas rapidamente fica cansada destas e decide que deverão ser os hospitais interessados a dar o primeiro passo. O toque de midas não está ao dispor de todos… mas se, se chamam Cristina Yang… magnetismo não falta. Isto, para desespero de Teddy e apreensão de Hunt. Todos desejam os serviços de Cristina, mas estes dois, em particular, desejam a pessoa de Cristina… ainda que esta pareça certa de que chegou a hora de partir.

Quem não está assim tão segura é Meredith… ela tem a vida que nunca sonhou! Extraordinariamente normal e simples, da qual ela aprendeu  a desfrutar. De material danificado (damage good) temos agora uma Meredith completamente diferente! Ela tem, agora, o Dereck e a Zola… e isso dá-lhe paz! Alguém algum dia pensou que poderíamos usar essas palavras para descrever a situação de Mreredith em Grey’s Anatomy?! Contudo, ao longo do episódio, vamos percebendo esta mudança e que não tem mal nenhum em querer ficar… porém, mudar-se e procurar o seu sonho profissional também não pode ser visto como algo negativo, dado o apoio a cem por cento de Dereck e Cristina. E mesmo isso Mer percebe e, finalmente, decide ir à entrevista em Boston!

O que nos aguardas Grey’s?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s